sábado, 13 de outubro de 2012

Lástima


Meio às pressas se incorpora o anúncio
Por trás dos meus olhos embebo-me em lágrimas, o corpo flutua
No escuro opaco perdi os teus olhos num mar sem farol
E as rochas da costa atraem o navio, imãs;
Meus braços desenham seu corpo no vento, é minha irmã
Nascida em espírito, serramos a alma, os corpos contíguos,
A vista anuncia o frustrante e o eterno amanhã,
E a besta que habita meu peito é um anjo antigo.
Antigo o vento, o rastro de nuvem, poeira de vida
Que há mais de mil anos só vê todavia a mensagem do tempo,
E o escuro se esgueira, chegando em ondas por trás da minha vista
E a culpa me queima, e a culpa me queima, doença mortal;
Que mais a paixão evanesce mais a dor espicha.